27 de dezembro de 2011

É só amor..

Sabe aquele dia que a insônia te leva até as seis, sete da manhã?
Você querendo um cigarro, ou até mesmo um conhaque – mas ai é que está - você sóbria, pensando bobagens sobre sua vida sobre nossas vidas.

Você para e pensa, será mesmo que impus prioridades, será que vivi os momentos certos na hora certa? E cai a ficha, você queria estar bêbada, os fatos não são tão rudes quando se tem uma boa porcentagem de álcool no sangue, mas ha sempre uma hora em que não dá mais pra  fugir do tormento. Prioridades? foram impostas sim. Talvez com a ordem um pouco trocada, mas era o que o momento exigia. Sua mente não para um segundo, você pega o telefone varias vezes, mas não quer ligar (alias, talvez quisesse- mas não vai).

Você pensa: já chega.

Quem gosta vai atrás, pode demorar, mas cada um tem seu tempo e sua maneira de gostar. Porém uma única frase ronda a sua cabeça: “Quando gosto, eu corro atrás’’, talvez você tenha escutado na primeira, segunda vez (sei lá), que conversaram, mas pode apostar isso está impregnado, gravado em sua memória.

Maldito lugar, malditas pessoas, maldito dia, maldito destino que conspirou toda essa fatalidade- que talvez esteja só em sua mente, mas será mesmo? Ninguém finge por tanto tempo, ninguém consegue viver tanto tempo mentindo. E aquele mês, inteiro que vocês passaram juntos? Ora, aquilo não pode ter sido só um simples – suprir necessidade. E quanto a caricias, as palavras doces, as brincadeiras. Sem falar no acordar do nada e perceber que ele te olha docemente, você com a cara amassada força um sorriso e diz: seu bobo, o que é que você estava olhando.

Mas ai, sempre acontece algo que te deixa pra baixo, chateada- ele está longe- todos ficam cinza, tudo fica cinza. E você olha para os mesmos lugares e tem certeza que antes eles eram mais vivos, sabe? Tinha mais brilho, mais cor. Tudo era engraçado- poxa vida eu era retardada, ou algo mudou – não existe ele aqui agora.

E você torce para que o silêncio acabe, para que algo reluza- como ouro em águas barrentas. O seu jeito sínico começa a te incomodar, e você já tem vontade de jogar ele na parede o pressionar contra ela e dizer: “A partir de hoje eu quero que seja assim, e se você não sabe o que quer- estou fora”

Na realidade acho que é só mais um dia ruim, com gosto de desabafo – preciso dormir urgentemente, acho que agora consigo.




Parece masoquismo, mas é só amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário