27 de agosto de 2012

Caixinha de Pandora: Melhor lembrança quando criança



Confesso que antes de começar esse post, milhares de coisas rondaram minha cabeça. Infância, tá ai algo que eu levei bem a sério, e fiz direitinho - gente, eu brinquei de boneca até 14 anos, e chegava até a me esconder das outras meninas da minha idade por vergonha, mas enfim.. pensei, e pensei, e no fim sempre chegava a mesma conclusão: minha melhor lembrança quando criança era a roça. 

Isso mesmo, a roça onde meus avós maternos moravam - ''ai, mas tu não devia chamar de fazenda'' é, na realidade era/é uma fazenda, mas é que eu realmente gosto de chamar de roça. Eu era sou muito roceira, daquelas que não vê a hora de chegar as férias de julho, só pra poder sair se embrenhando no mato. 

* O cheiro, ''o gosto'', os ares do campo sempre me fizeram muito bem.

Eu fui da geração L na casa da vovó: Lucas, Luciene e Lorena (eu) - nós ''comandávamos'' a maior parte das brincadeiras por lá. Lembranças não faltam, mas sem dúvidas todos vão concordar comigo que citação favorita era uma só: 
''A comida tá na mesa'' - Vovó


Como era muita coisa/brincadeira/travessura vou enumerar as Cinco melhores lembranças, dentro da minha melhor lembrança (roça) - 

1) Sem dúvida alguma, a primeira, foi quando eu aprendi a andar a cavalo, graças as minhas primas: Ariany e Isabella


2) Quando eu, a Luciene e a Camila (minhas primas) fizemos um fogãozinho a lenha, e resolvemos fazer uma espécie de doce de manga, que no fim ficou com pedaços da fruta e das cinzas que subiam do fogão - porque não tínhamos tampa - mas mesmo assim meu tio comeu e disse que estava uma delicia. Me mato rindo até hoje.




3) Outra lembrança maravilhosa, era da época de chuva, que saia uma penca de mais ou menos 10 crianças se sujando de barro da cabeça aos pés, com direito a guerrinha e tudo - não que eu não faça isso até hoje, mas na infância era bem mais divertido e seus primos te acompanhavam..




4) E como esquecer do nosso bom e velho Jeep, ele era a alegria da ''primaiada'' - direto e reto montávamos um mutirão de limpeza, e deixávamos ele um brinco, só pra ganhar uma ''voltinha'' como recompensa.







5) Eramos macaquinhos, vivíamos empoleirados em árvores, mas tinha uma que era especial, que tinha um galho especial. Ela ficava/fica em frente a casa da vó, e  no finalzinho da tarde - por volta das 6 horas - todos nós íamos para lá gangorrar no tal galho e contar coisas sobre nossas vidas. Hoje em dia a árvore continua lá, mas o galho já está bem fraquinho, o máximo que podemos fazer é aprecia-lá e ver, neste mesmo horário, galinhas subirem nela para dormir.





Ainda somos muito ligados, o Lucas é quase um irmão pra mim, e praticamente sabemos tudo da vida um do outro, a Luciene vai casar mês que vem - e entre umas das promessas de infância, a de ser madrinha do casamento dela vai se confirmar (depois conto mais pra vocês), a Camila e os outros primos dessa mesma época são mais que queridos pra mim, e continuamos unidos do mesmo jeito ou até mais. Meus avós infelizmente faleceram em 2004(vó)/2005(vô), e quem toma conta da fazenda, hoje em dia, é o meu tio - o mesmo que comeu o doce de manga e que tem o Jeep.


No dia-a-dia: ''..na infância, bastava o sol lá fora e o resto se resolvia''
 
Novas metas: ''..
acredito que a água 'acalma' as pessoas''
 
Blog da Pepi: 
 ''afinal, quem é que não gosta dos trapalhões?''



Então é isso ai pessoal, se vocês quiserem saber algo sobre mim, ou sobre as meninas, é só deixar um comentário - e semana que vem tem mais Caixinha de Pandora pra vocês :* 




7 comentários:

  1. sua infância foi maravilhosa né mais eu morro de medo de cavalo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah para, cavalos são tão lindos - eu sou apaixonada!

      Excluir
  2. Lorenaaaaa, eu também tenho muito essas lembranças dos primos fazendo bagunça na casa da vó e meu primo sempre me levava pra andar a cavalo, uma vez a gente caiu, coisa mais linda SAUHASUHSAUHSAUHAS uma coisa que eu lembro muito é que minha avó pedia pra eu juntar os ovos das galinhas e eu ficava maravilhada que eles vinham verdes, azuis, rosa...
    Amei teu post, beijinhossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahahahahhaahahhah, eu também Bruna, e adora quando eles eram azuis, ficava torcendo pra achar um nas minhas andanças.

      Excluir
  3. Aqui é o Lucas . Vc esqueceu de mencionar quando ia aquela renca de meninos la no milharal do vô e começava a pegar o milho dela e quando ele via começava a correr atras da gente com o cinto na mão agente começava a correr e. Gritar era muita adrenalina . Tambem quandok juntava mais de 20 primos tbm e a gnte brincava de pik dono da rua , pik cola ,pik pega, pik esconde era so anoitecer pra zueira começar. Nossa infancia nao teve como ser melhor eu nao mudaria nda ate hje meu olho enche de agua lembrando da nossa infancia que foi apesar dos pesares a MELHOR INFANCIA DO MUNDO todo dia eu agradeço a DEUS por ter me proporcionado essa familia linda e essa infancia maravilhosa. Amo vc prima !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas era taaaaaaaanta coisa, que se eu fosse falar tudo ia dar um livro - nossa infância realmente foi A MELHOR, MELHOR DESSE MUNDO INTEIRINHO, sem exageros. te amo mtmtmt <3

      Excluir
  4. Que lindo, Lorena! Muitas aventuras! hahaha Adorei, bjss. :*

    ResponderExcluir